terça-feira, 29 de março de 2016

Madness on the loose...

Imagem retirada da Internet

Das duas, três: ou consigo ultrapassar os meus "mas" e os meus "ses", ou estou bem fodida da vida.

Ansioliticos e anti-depressivos, que felizmente não me deixam alienada, macambuzia ou a babar-me, são um achado. E se pensarmos que os ditos me têm ajudado a estar mais calma, a conseguir dormir sem interrupção (salvo a mija da ordem, mas essa até já é feita em modo automático), e que fizeram desaparecer aquela puta daquela enxaqueca (que tive ininterruptamente durante 7 semanas), é bom. É até muito bom! Só existem aqui uns pequenos GRANDES pormenores, que me estão a lixar a marmita. Vejamos: 
  • durmo ininterruptamente. É bom. Mas em contrapartida, tenho os pesadelos mais violentos de que tenho memória (do género de cerrar os lábios para não sentir o sabor do sangue - duma alma que não faço puto de ideia de quem seja - que jorra para cima de mim, conseguindo ficar-me por sentir apenas, tão somente e apenas (!), o calor desse sangue a escorrer no meu queixo);
  • ando mais calma. Awesome. Mas em compensação, tenho imensos momentos em que as conexões neurais até se estabelecem, mas depois, a verbalização do raciocínio, os seus termos, as palavras tão óbvias - na maioria das vezes, palavras até do senso comum - não saem. Fico a patinar no pensamento. A palavra, a expressão, o termo, está ali, mas não sai;
  • a puta da enxaqueca foi finalmente embora. Fucking great. Mas porém, estou completamente desmemoriada, ao ponto de esbarrar em coisas que nem me lembro sequer, de ter feito. Ou esquecer-me ou trocar, passos das rotinas diárias, como passar o creme hidratante no cabelo, em vez de passa-lo na fronha...
Portanto, resumindo, concluindo e baralhando: não sei se é preferível termos uma Benny descompensada, à beira de um desgrenhamento do espírito, e de um mergulho na insanidade emocional, ou se será preferível uma Benny, autora de um thriller de 5.ª categoria, que levará possivelmente - e atenção, vou ser optimista - uns 50 anos a escrever, por ficar a escorregar no "ai, como é que se diz... opah, quando uma pessoa... existe um verbo... não é bem ensandecer... é... opah, há outra maneira de dizer..."

BOM PRESSÁGIO: Ou estou perto de me equilibrar, ou... ora foda-se. Esqueci-me.

3 comentários:

Isa disse...

Mais vale estares medicada e tratares-te a tempo do que ensandecer de vez! As pessoas de tanto evitar a medicação andam doentes sem necessidade! A falta de determinados compostos cerebrais é igual à falta da insulina na diabetes, com a vantagem que é mais facilmente curavél uma depressão que uma diabetes! Força nisso!

Anjo Cadente disse...

Bom, não sei se hei-de rir ou chorar... Por um lado, este post está genial (como é teu apanágio!), por outro, a puta da realidade dá cabo de t(i)odos (para já... Continuo convicto que um dia a realidade seja diferente, não obstante os caminhos que tome... Serás Feliz de qualquer maneira, uns dias mais que outros...).

Cuida-te e volta depressa... Há quem tenha muitíssimas saudades tuas, de como eras! De como és hoje! De tudo! Ou de quase tudo... Podes ter mudado muito, mas tu tens a tua essência, TU ÉS ESSA ESSÊNCIA!!! Podemos mudar muito (uns para melhor e invariavelmente outros, para pior), mas nunca deixamos de ser quem somos, mesmo que andemos perdidos por algum tempo, somos o que somos e isso faz toda a diferença.

Do fundo do coração, desejo que te encontres, no matter what... Segue o teu instinto, umas vezes com a cabeça, outras com o coração (Sim, somos seres racionais, mas também somos seres passionais e não podemos dissociar uma coisa da outra, senão teríamos apenas um dos orgãos! Se bem que o cérebro é um orgão soberbo! Acho, mesmo, que todos deveríamos ter um!!!) e deixa a vida acontecer... Tenho em mim que a vida te reserva coisas extraordinárias! Sei que o melhor de ti está para chegar, mas tens de deixar isso acontecer!

Take care...

Green disse...

Certamente estarás a ficar melhor, pensa que já começaste o caminho da recuperação e agora basta que continues a ser forte, sei que não é fácil, e tenho a certeza que tens a força suficiente para ultrapassar qualquer coisa. Não desistas de ti*